O senador Ciro Nogueira (Progressistas/PI) defendeu a discussão de soluções para o impasse criado com a Medida Provisória (MP) 832/2018, que estabelece preços mínimos de frete para o transporte rodoviário. Nesta quarta-feira (6), Ciro disse ver com preocupação o impacto dos valores previstos pela medida sobre o preço de centenas de produtos transportados pelas rodovias, que vão desde medicamentos até roupas e alimentos.

“Num país que depende amplamente do transporte rodoviário, os valores mínimos estabelecidos, além de causarem aumento nos preços, vão impactar de forma negativa a economia e a vida dos cidadãos”, avaliou o senador.

Editada para buscar trazer o Brasil à normalidade, a MP estabelece a publicação, pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), de uma tabela com os preços mínimos do frete referentes ao quilômetro rodado, por eixo carregado. As tabelas entraram em vigor com a publicação da edição extra do Diário Oficial da União – em 30/05/2018.

O senador destacou que, além da repercussão negativa para as transportadoras e caminhoneiros, a mudança afeta diretamente a indústria. Segundo relatou, a Associação Brasileira de Indústrias de Suplementos Minerais (ASBRAM), que produz milhões de toneladas de suplementos minerais para o rebanho bovino brasileiro, já afirmou que a nova medida provocará um aumento de 40% nos fretes e que em alguns casos a elevação desse custo pode ultrapassar 400%.

“Como absorver esse impacto ou como repassá-lo para o mercado? Parece mesmo inviável. Os efeitos na produção da carne serão fatalmente sentidos pela pecuária e pela população”, avaliou.

A Associação Industrial do Piauí está apreensiva com o preço mínimo para os fretes porque esse valor está fora da realidade do que é praticado na região Nordeste, o que pode inviabilizar os negócios do setor.

O senador esteve na terça-feira (5) com o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, para discutir a questão.

“Destaquei a apreensão dos segmentos econômicos e estou empenhado em encontrar uma solução viável. Esperemos que o governo esteja sensível a esse apelo que apresento de rever esses preços mínimos”, concluiu Ciro.