A importância do trabalho das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) do Piauí e a abertura da XII Olimpíada das Apaes do Estado foram registrados pelo senador Ciro Nogueira (Progressistas/PI) em discurso nesta quarta-feira (6). Entre os assuntos destacados por Ciro estão as dificuldades financeiras enfrentadas pelas Apaes piauienses que oferecem atendimento de saúde à pessoa com deficiência. Sobre isso, o senador informou que está tomando providências para que os recursos necessários possam chegar até essas unidades.

Ciro ressaltou que a Apae atua de modo decisivo em dezenas de municípios do estado. Há 35 estabelecimentos com atendimento em saúde, mas apenas cinco deles recebem financiamento direto do Ministério da Saúde para custear esse serviço.

“Os gastos com atendimento de saúde são altos, a demanda é grande e os recursos são insuficientes. A situação é preocupante, pois sabemos da importância do acompanhamento médico para o tratamento das pessoas atendidas pelas associações”, considerou.

Com relação a esse problema, o senador relatou que participou de reunião com o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, e com representantes das Apaes de todo o Piauí, em que foi entregue ao secretário uma solicitação de aumento de recursos e ampliação de serviços para a rede de atenção da pessoa com deficiência.

“Estive também com o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, na semana passada, para tratar disso e já enviei um pedido no qual detalhamos as necessidades das Apaes no estado. A lista vai servir para que sejam avaliadas as possibilidades de aportes de recursos para as unidades”, comunicou o senador.

Ciro explicou que os valores que estão sendo solicitados serão aplicados no fortalecimento da Rede de Cuidado à Pessoa com Deficiência, por meio da ampliação do acesso aos diversos procedimentos oferecidos no âmbito do SUS.

Recursos

Entre as demandas enviadas ao ministério da Saúde estão o aumento do teto anual de Média e Alta Complexidade do Estado do Piauí , que permitirá atender às Apaes de José de Freitas, Esperantina, Pedro II, Luís Correia, Oeiras, Luzilândia, União, Passagem Franca, Ilha Grande, Inhuma, Bertolínea e Piracuruca, além de Teresina, Parnaíba, Piripiri, Floriano e Picos.

Para ajudar nesse processo, Ciro também ofereceu ajuda para o cadastramento das Apaes que ainda não estão inscritas na Secretaria de Saúde, para que sejam habilitadas junto ao ministério e possam receber esses recursos.

“Coloquei à disposição minha equipe e me propus a buscar ajuda, seja nos municípios ou no estado, de modo que as Apaes continuem a prestar serviços tão importantes para as pessoas com deficiência e para a população”, afirmou.

Apaes

As Apaes do Brasil existem há 63 anos e estão presentes em todos os estados e no Distrito Federal. As associações atendem diariamente cerca de 250 mil pessoas com deficiência intelectual e múltipla. No Piauí, a Apae está presente desde 1968, ano em que foi aberta a primeira unidade em Teresina, por iniciativa de pioneiros como o professor João Porfírio de Lima Cordão, que consolidou a entidade, sendo seu presidente por longa data.

Jogos solidários

A XII Olimpíada das Apaes do Estado, que começa neste dia 6, é uma disputa esportiva e oportunidade de inclusão e socialização entre participantes, familiares e população. O evento esportivo reúne 187 atletas, das Apaes de Campo Maior, Esperantina, Floriano, José de Freitas, Pedro II, Piripiri, Passagem Franca, Picos, Parnaíba, União e Teresina, que é a anfitriã desta competição, que é também uma seletiva para os jogos nacionais das Associações. Os jogos terão modalidades esportivas individuais, como o atletismo, a natação e a capoeira, e coletivas, como o basquete e o futsal.

“Fico feliz por registrar mais esse esforço das Apaes piauienses, lembrando ainda que não é de hoje que insistimos na importância de se fortalecer o trabalho dessas entidades, que são organizações sociais promotoras de atenção integral à pessoa com deficiência intelectual e múltipla”, destacou Ciro.