Senador Ciro Nogueira

No Dia Mundial do Meio Ambiente, Ciro alerta para o perigo do lixo plástico na natureza.

“A presença danosa do plástico no meio ambiente tornou-se um assunto fundamental para todos os seres humanos. Necessitamos, urgentemente, consumir menos plástico”, alertou o senador Ciro Nogueira (Progressistas/PI) nesta terça-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente. Em discurso, Ciro ressaltou que é preciso reciclar mais e zelar pelo equilíbrio ambiental para evitar que o planeta se transforme em uma “imensa lata de lixo cósmica”.

O senador citou dados da ONU sobre a produção humana de plástico que, nos últimos dez anos, superou a quantidade desse material produzida em todo o Século 20. Ainda segundo a ONU, oito milhões de toneladas de plástico são jogadas nos oceanos anualmente.

“Os números são mesmo de assustar: consumimos, a cada ano, entre 500 bilhões e um trilhão de sacolas plásticas e um milhão de garrafas desse material são comercializadas a cada minuto”, lamentou.

O lixo plástico é tão preocupante que virou tema do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano. Segundo o senador, países desenvolvidos estão discutindo soluções e normas para impedir que o descarte indevido de plásticos continue a prejudicar a natureza, os peixes e os animais. No Brasil, Ciro afirmou que é preciso colocar o problema do lixo plástico em discussão para que o país possa acompanhar as mudanças que já ocorrem em todo o mundo.

“Acredito, que o legislativo deve se adiantar para propor soluções para esse problema do plástico descartado na natureza. Por isso, apresentei um projeto para proibir o uso de microplásticos na produção de produtos tais como cremes, pasta de dentes, sabonetes e produtos de limpeza”, informou.

A proposta do PLS 159/2018 é evitar que esses pedaços minúsculos de plásticos continuem a ser utilizados e eliminados nos resíduos que sobram de produtos de higiene e limpeza descartados nos ralos das pias, tanques, chuveiros.

“Por serem tão pequenos, não conseguem ser filtrados pelos sistemas de tratamento de esgotos convencionais”, explicou.

O senador citou iniciativas como a do Reino Unido, país que irá acabar, em 2019, com a fabricação de produtos como canudinhos, cotonetes, colheres e demais embalagens que levam 400 anos para se decompor na natureza e são responsáveis pela morte de milhares de animais.

“Acredito que aqui também podemos eliminar esses utensílios plásticos e adotar uma vida mais simples, mais limpa e menos consumista. Se aprendermos a respeitar o meio ambiente, poderemos transformá-lo para melhor. Acima de tudo, garantiremos o futuro das próximas gerações e deste planeta tão maravilhoso que nos acolhe”, afirmou.

Ciro também listou outros projetos de sua autoria para a proteção do meio ambiente, entre eles o PLS 304/2017 que proíbe a venda de veículos novos movidos a gasolina ou diesel a partir de 2030 e, a partir de 2040, proíbe a circulação de qualquer automóvel desse tipo.

“Os automóveis são responsáveis por um sexto das emissões de dióxido de carbono na atmosfera, agente causador do efeito estufa, que leva ao aquecimento global. Portanto, banir esse tipo de veículo será positivo para o meio ambiente e bom para o Brasil, que já faz uso intenso de biocombustíveis, como é o caso do etanol”, explicou.